50 coisas que só quem é mãe entende

  1. O quanto um termômetro que não pára de aumentar a temperatura pode se tornar uma fonte de desespero
  2. A incrível sensação que ir ao banheiro sozinha pode nos proporcionar
  3. A quantidade de “dr. e dra.” que agora fazem parte da agenda do celular ( e ainda descrevendo as especialidades: Dra. Fulana PEDIATRA / Dr. Fulano PNEUMO, e por aí vai)
  4. A vitória que é conseguir comer a comida ainda quentinha
  5. Mais vitorioso ainda é comer e terminar a refeição sem estar toda suja de comida da cria
  6. Os segundos mais longos da vida que acontecem quando o filho demora para respirar enquanto dorme (sim, eu ainda acordo pra checar a respiração)
  7. A comemoração por causa de um cocô depois das cólicas (e por cada pum também rsrsrsrs)
  8. Como às vezes sentimos que não vamos dar conta de nada, e de repente, estamos paradas olhando para tudo já feito (com uma força que eu não sei de onde vem)
  9. Como é bom ir ao mercado sozinha (ou ao shopping, ou até a esquina de casa…)
  10. Como sempre vamos ao mercado e voltamos com algo para o filho
  11. A incrível arte milenar de fazer tudo em siêncio enquanto eles dormem (até respirar a gente evita)
  12. Começar uma conversa sobre sabão em pó (ou qualquer outro assunto) e sempre acabar falando sobre a maternidade
  13. Aquele mini ataque cardíaco quando ligam da escolinha  
  14. A sensação de culpa por ter esquecido algo relativo ao filho
  15. Dormir absurdamente feliz por alguma conquista ou nova realização do filho
  16. Não dormir por causa dele também
  17. Acordar já fazendo mil coisas, mesmo depois de uma noite horrível
  18. A cobrança que temos com nós mesmas com relação a simplesmente… TUDO
  19. Amar a professora da escolinha porque ela é maravilhosa com as crianças
  20. Sentir ciúmes da professora da escolinha porque às vezes ela parece mais maravilhosa que você
  21. O vazio que sentimos quando os filhos não estão em casa
  22. Fazer qualquer coisa sem os filhos parece um sonho, até fazermos e sentirmos que nada parece ter sentido sem eles
  23. Como fazer uma viagem pode parecer suicídio.
  24. A alegria quando o filho dorme o trajeto todo no carro
  25. O desespero quando ele dorme nos últimos 3 minutos de viagem
  26. A péssima ideia que é usar roupas brancas com ele por perto
  27. Como organizar a casa é desafiador
  28. Como manter a casa organizada é impossível
  29. Afinal, não podemos considerar como uma decoração exclusiva todos os brinquedos que estão no chão?
  30. Como reconhecemos os verdadeiros amigos
  31. E principalmente, como nos reconhecemos depois dos filhos
  32. A deliciosa aula diária que é conviver com uma criança (Afinal, precisamos voltar a estudar para respondermos tantos porquês)!
  33. O desespero quando a pergunta não é tão simples de responder
  34. Como tudo começa parecer perigoso (até mesmo plástico bolha!)
  35. Aquela vontade que temos de colocá-lo de volta dentro da barriga para que nada de mau possa atingi-lo
  36. Como detestamos que tirem-no do nosso colo (ou até mesmo do nosso campo de visão) sem nosso consentimento
    screaming-stress-lady-e1402046096559-550x330
  37. A vontade de estrangular as pessoas que falam algo de ruim sobre nosso filho
  38. O quanto a “competição materna pela perfeição” é irritante e desnecessária, afinal, nosso filho sempre será o mais maravilhoso ao nosso ver (então cada um com o seu e sejamos felizes)
  39. Como às vezes bate uma invejinha branca das amigas sem filhos
  40. O quanto um sorriso banguela pode fazer uma noite em claro ter valido a pena
  41. Como a gente perde pequenos “nojinhos” e se transforma em uma verdadeira leoa
  42. Em compensação, como a gente ganha novas fobias e como o medo de morrer aumenta também
  43. A sensação de ser a pessoa mais amada e maravilhosa do mundo quando aqueles bracinhos cercam nosso pescoço
  44. A percepção de que o tempo demora uma eternidade nos momentos difícies e de repente, passa rápido demais
  45. Sentir que o coração vai explodir a qualquer momento de tanto amor
  46. Ter que segurar a vontade de morder, esmagar e nunca mais soltar o filho
  47. Como a memória do celular fica pequena né?! A vontade de registrar tudo domina o nosso dia-a-dia. (Falando em registrar: mais alguém já desejou colar uma câmera na testa pra filmar TUDO que o filho faz? Especialmente quando rola uma carinha maravilhosamente fofa e não dá tempo de tirar uma foto)
  48. Como nos culpamos pelos dias que sentimos vontade de fugir.
  49. O quanto um abraço, um beijo e um sorriso podem curar um coração cansado
  50. E lógico: o quanto sempre, sempre, SEMPRE cabe mais um pouco de amor e loucura por um filho.

 

3 Replies to “50 coisas que só quem é mãe entende

  1. “Aquela vontade que temos de colocá-lo de volta dentro da barriga para que nada de mau possa atingi-lo”

    Ela ainda nem saiu da minha barriga e tenho essa vontade de mante-la aqui, pois sei que assim posso protege-la do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *