Aprendizados de 2015 (De 1 a 2 anos)

Planos e metas de 2016 a parte, parei (só hoje mesmo, desculpem o desleixo) para analisar tudo o que aprendi em 2015 sendo mãe:

No dia 1º de janeiro de 2015 Bellinha completava 1 ano e 5 meses.
Já andava, falava palavras soltas e dava indícios de desfralde.
Ou seja: seria um ano completamente diferente do anterior, onde ela era somente um bebezinho de colo que dependia de mim para tudo.

E ficou nítido que:

1. Eles crescem num piscar de olhos… Quase que literalmente. 
Bellinha parece que aumentou de tamanho da noite pro dia. Foi dormir calçando 18 e acordou quase no 20… A roupinha de 1 ano (sim, ela é pequena mesmo) que estava usando no dia anterior ficou curta no dia seguinte. Vai entender…

2. Aprender a falar é um grande passo, e é delicioso ouvir sua voz (exceto das 00:00 às 07:00)
Olha só quem fala mais que a própria mãe? (e olha que eu falo muuuito hein?!)
Bellinha fala tudo, argumenta sobre tudo e é uma delícia o jeitinho dela gesticular e expressar seus sentimentos em palavras. A não ser que seja bem na hora de dormir….

3. Chupetas deixam de ser fofas com o tempo
Ok, eu errei mesmo em dar chupeta. E tive plena convicção do tamanho do erro na hora de tentar tirá-la. E nós decidimos fazer isso quando: Começou a atrapalhar na fala, e ela parecia cada dia mais viciada. Não foi fácil, mas entrou para a lista de grandes conquistas de 2015. Tchau chupeta. (E aqui deixo minha dica: Se seu filho não pegou: SORTE A SUA)

4. Pular é divertido demais
Acho que nunca frequentei tanto pula-pula quanto em 2015. Não podia passar perto de nenhum que tinha que dar um jeito de parar. O que será que eles sentem enquanto ficam cercados nesses brinquedos? Confesso que não sei, mas pular é o exercício mais legal do mundo.

5. Eu também sou uma princesa
Era só colocar um vestido qualquer que a Bellinha fazia a maior cara de espanto e falava: MAMÃE, VOCÊ É UMA PINCESA!
Como não sentir-se maravilhosa com isso?

6. O doce no armário nunca está bem escondido
Você pode esconder aquela barrinha de chocolate no lugar mais estranho do armário. Uma hora, você estará com seu filho no colo e ele apenas apontará… Fim da linha.

7. Os brinquedos são mais legais se estão fora do lugar
Afinal, pra quê brincar no quarto se tem a sala, que é bem maior?
Essa saga com a Bellinha será eterna: Metade do quarto dela está na sala. Acho que ela só não levou a caminha dela porque não aguenta hahahaha

8. Colo de mãe cura mesmo
Quantos choros não foram cessados com o colo da mamãe?
Por aqui, eu já perdi as contas.
E confesso que AMO esse poder. Me faz sentir a pessoa mais poderosa e forte do mundo. 

9. Uma febre lhe fará repensar em tudo
Eu não sei vocês, mas em cada febre da Bellinha que vivemos em 2015 eu só conseguia pensar: “o que foi que eu fiz de errado?” “Será que não agasalhei direito?” “Por que é que eu decidi fazer essa viagem?” “Será que cozinhei esse prato direito”… E inúmeros outros questionamentos sobre sua eficiência como mãe.

10. O instinto materno existe
Sabe aquela sensação estranha que aperta o peito da gente, e de repente você escuta um choro? Então, esse é o tal do instinto. Nós, mães, temos o dom de imaginar todos os acontecimentos possível diante de diversas situações. Mas infelizmente, isso não quer dizer que conseguiremos sempre prevenir os pequenos acidentes…

11. A realidade é melhor do que a foto
No primeiro ano da Bellinha eu quis fotografar tudo, e não deu muito certo. Assistia os melhores momentos por trás das cameras e no fim, não ficava registrado com excelência. 
Infelizmente, não sou fotógrafa e nem tem nenhum profissional na família… Então, decidi deixar a câmera de lado e tentar curtir mais.
Resultado: Posso não ter aqui no computador alguns momentos que vivi esse ano. Mas na minha cabeça e no meu coração… Ahhhh, ainda permanecem vivas as melhores sensações. 

12. Fraldas as vezes fazem falta
Desfralde é uma vitória. Ok. Mas tem dias que tudo que eu queria era não ter que ficar levantando de 1h em 1h, ou não ter que lavar colchão, e até o travesseiro nas noites que o xixi escapa. Confesso que por alguns momentos eu senti falta de colocar a fralda e tirar horas depois.

13. Nosso coração cresce junto com nosso filho
Quando a gente pensa que não cabe mais amor no peito… Deus mostra que a nossa capacidade amar (e aprender, e perdoar e aguentar) é cada dia maior. E continuará a crescer sempre.

14. A gente continua não dormindo
Não importa se a Bellinha já não acorda mais de madrugada. Lá estou eu, toda noite, acordando pra ver se ela está coberta, se não está torta na cama, se está respirando (sim, eu ainda não superei essa insegurança rsrsrsrs)


Resumindo: Quando a gente acha que não pode aprender mais, Deus vem e mostra que ser mãe é não ter rotina nunca… A gente sempre se surpreende.


E que 2016 continue assim, cheia de coisas deliciosas e novas.
Pra mim, e pra você!


Beijos

Bellinha em seu aniversário de 1 aninho, e de 2 aninhos







Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *