Dicas, Rotina

Atitudes que tornam os bebês emocionalmente seguros e tranquilos

Muitos pais e educadores se perguntam quais atividades são ideais para bebês pequenos, que ainda não interagem completamente com o universo adulto. A maneira como uma criança é estimulada, em seus primeiros meses, influencia seu desenvolvimento físico, sua forma de aprendizado e relação social. Esta é a base da abordagem pedagógica criada por Emmi Pikler, uma pediatra austríaca que trabalhou como diretora em uma instituição de acolhida de crianças órfãs e abandonadas durante a guerra. Observando estes bebês, a pediatra desenvolveu cinco princípios fundamentais para a educação infantil, que tem por fundamento o respeito ao ritmo natural da criança e sua autonomia, criando uma relação de confiança entre adulto e bebê.

Dentro desta perspectiva, algumas atitudes simples nas atividades de rotina podem fazer diferença. Saiba como aproveitar esses momentos com algumas dicas da diretora da escola e berçário Vila Sofia, em Curitiba, Natália Ramon, que se especializou na metodologia Pikler.

1 – Mantenha uma rotina estruturada

Estabeleça uma ordem para os principais acontecimentos do dia e procure realizá-los sempre do mesmo jeito. A repetição dá ao bebê a possibilidade de prever o que vai acontecer e se preparar. Surpresas e mudanças bruscas causam nos pequenos uma sensação de angústia e insegurança, deixando-os ansiosos, tensos e irritados. A rotina estruturada serve de suporte, inclusive, para que se possa sair da rotina de vez em quando. Assim o bebê – seguro e tranquilo – pode também aprender a lidar com o diferente.

2 – Crie pequenos rituais

Bebês e crianças precisam de um tempo maior para se transladar de um evento a outro. Diferentes de nós adultos – que estamos sempre pensando no que já foi e imaginando o que será – os bebês vivem totalmente mergulhados no momento presente. A transição entre diferentes atividades deve acontecer de forma lenta, e ser comunicada suavemente através de gestos, palavras ritmadas e pequenas canções. Podem ser melodias simples e curtas ou frases alegres e repetidas. Dessa forma a consciência dos pequenos vai se transportando para o local ou a atividade seguinte de maneira natural e divertida, sem choques e rupturas.

3 – Converse com o bebê

Jamais toque num bebê sem antes sinalizar que irá fazê-lo. O bebê também é uma pessoa e merece ser respeitado, e por ser frágil precisa de ainda mais delicadeza no trato. Durante os momentos de cuidados, sejam trocas, banho ou higiene, descreva todas as ações de maneira assertiva. Antes de tudo capte o olhar do bebê e comunique o que está fazendo e o que vai fazer. Mantenha sempre um tom de voz suave e um sorriso nos lábios. Assim, você permitirá que ele participe conscientemente desses momentos e interaja de maneira autônoma e espontânea.

4 – Desenvolva uma coreografia dos cuidados

O movimento brusco e inesperado é uma verdadeira agressão ao bebê. Os cuidados são momentos preciosos de muita intimidade e confiança. Procure fazer as coisas sempre do mesmo jeito e, além de comunicar, sinalize com o toque, indicando qual será o próximo passo. Permita que o bebê perceba o movimento com antecedência e participe dele. Por exemplo: antes de levantar as pernas para tirar a fralda, toque a perninha, diga que irá erguê-la e vá levantando devagar. Outra dica simples é segurá-lo e contar até três em voz alta antes de tirá-lo do lugar. Ao invés de ser movido passivamente, o bebê vai se tornando um colaborador ativo e se sentirá seguro, respeitado e capaz.

5 – Concentre, não distraia

Os pequenos não precisam ser distraídos, pelo contrário, eles se sentem melhor quando estão concentrados no que estão fazendo. Não é necessário, portanto, dar-lhes um brinquedo durante a troca ou ligar a TV durante a refeição. Essas distrações tiram o foco e, aos poucos, vão os tornando dispersos, passivos e agitados. Cada momento do seu dia é repleto de descobertas. Chame sua atenção para o que está acontecendo. Descreva as cores e os sabores dos alimentos. Conte-lhe que a água do banho está morninha e que ele está feliz. Tudo isso vai ajudando o bebê a dar significado para suas vivências e descobrir que a vida é extremamente interessante. Mesmo que ele não goste de uma determinada atividade, não é preciso enganá-lo. Demonstre sua compreensão, comunique-a: afinal, você sabe que ele não gosta muito de lavar a cabeça ou escovar os dentes, mas você está fazendo com cuidado e vai ficar tudo bem.

6 – Ofereça poucas coisas e uma coisa de cada vez

Cuidado com o excesso de estímulos. Os bebês são seres ultra sensíveis e precisam de tempo e espaço para aprender a lidar com o seu entorno. Eles têm muito com o que se ocupar, têm que aprender tudo: deglutir, respirar, identificar sons, luzes, cores, temperaturas, tocar objetos, segurá-los, movê-los, perceber seu peso e textura. É através de objetos simples e estímulos naturais que os bebês irão aos poucos descobrindo como a vida funciona. Não precisamos lhes oferecer, desde o início, uma porção de estímulos externos que acabam por desviá-los da riqueza e da sutileza do seu entorno. Dê ao seu bebê a oportunidade de explorar, descobrir, tentar de diferentes jeitos, observar diferentes aspectos. O importante é que a ação parta dele, que ele escolha olhar para um objeto singelo ao seu lado, ao invés de atender ao nosso chamado para o brinquedo sonoro e multicolorido que colocamos à frente de seu rosto.

Um beijo,

 

2 thoughts on “Atitudes que tornam os bebês emocionalmente seguros e tranquilos

  1. Que dicas legais Ste!! Tem coisas que eu nunca tinha pensado. Principalmente a questão de distrair. Vejo as pessoas fazendo tanto isso, eu mesma já fiz. Faz total sentido! Amei o post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *