Carência de ferro: saiba se seu filho apresenta os sinais

Quando apatia, desânimo, falta de ar, dificuldade para realizar atividade física, fraqueza muscular, fadiga crônica e perda de apetite começam a marcar presença com frequência na vida dos pequenos, os pais devem ficar atentos. Juntos, esses sintomas podem sinalizar uma anemia que pode ser devida a carência de ferro. O problema é causado pela diminuição de glóbulos vermelhos no sangue, células responsáveis por levar oxigênio para todo o organismo.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, o ferro é um micromineral essencial para o crescimento e desenvolvimento da criança. A deficiência de ferro pode levar, em última instância, ao desenvolvimento da anemia ferropriva, que é a carência nutricional mais prevalente no mundo. No Brasil, estima-se que entre 30% e 50% das crianças menores de 2 anos tenham anemia ferropriva.

“Inicialmente, a carência de ferro é silenciosa, porque para suprir as necessidades o organismo consome os estoques do mineral. Com isso, existe a redução da produção de sangue e a criança desenvolve uma anemia moderada por carência de ferro (ferropriva)”, explica o médico Marcelo Neubauer – CRM-SP 82623.

Uma alimentação saudável, rica em vitaminas e minerais, ajuda a prevenir não apenas a anemia, como outras diversas doenças.

“Existem dois tipos de ferro que podem ser adquiridos na alimentação: o ferro tipo “heme”, que é proveniente da proteína de origem animal, especialmente carnes vermelhas, mas também de aves e peixes; e o ferro tipo “não-heme”, que é proveniente de alimentos vegetais, especialmente lentilha, soja, feijão, ervilha, nabo, brócolis, couve, espinafre, açaí, manga e abacate. De modo geral, o ferro de origem animal (heme) é melhor aproveitado no organismo”, explica o doutor Marcelo Neubauer.

Confira abaixo a ingestão diária recomendada de ferro (IDR), segundo o Ministério da Saúde, para as crianças em determinada faixa etária:

  • 0 a 6 meses: 36mg
  • 7 a 11 meses: 53mg
  • 1 a 3 anos: 60mg
  • 4 a 6 anos: 73mg
  • 7 a 10 anos: 100mg

Lembrando que é bom sempre estar em dia com as consultas ao pediatra, e alertá-lo sobre qualquer sinal diferente nos pequenos. O consumo de alimentos saudáveis não tem a ver somente com peso e estética, tem a ver com saúde e defesa do organismo.

Por isso: #comaforadacaixinha 🙂

Um beijo,

 

4 Replies to “Carência de ferro: saiba se seu filho apresenta os sinais

  1. Parabéns por abordar assuntos tão importantes de fora tão completa como você sempre faz. Eu não sabia de muita coisa ali! Com certeza muitas mamães precisam ler e ficar atentas!

  2. Quando era pequena eu tive esse problema de ferro. Não lembro os sintomas que eu tinha porque era muito novinha, mas lembro que tinha que tomar um remédio que era puro ferro, o gosto era horrível.
    Adorei esse post Ste, super informativo!

  3. Ótimo post explicativo!!! As vezes não entendemos ou não prestamos atenção nos sinais de que pode sim ter algo errado. Não por maldade, as vezes por falta de conhecimento mesmo, e tenho certeza que esse post pode ajudar muitas pessoas!!! Adorei!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *