Dicas, Maternidade

Coisas que você não deve dizer para uma criança que ganhará um irmãozinho

O ciúmes é inevitável, mas você sabia que existem várias formas de amenizar o baque da chegada de um novo membro da família?

E eu digo isso com a convicção de quem viveu isso na pele!

Por isso, juntei uma seleção de frases PÉSSIMAS que infelizmente são faladas o tempo todo para quem logo ganhará um irmãozinho (ou irmãzinha, claro), e resolvi compartilhar com vocês.

Eu juro: os pequenos detalhes podem fazer TODA diferença. 

Por aqui estamos nos policiando (e travando quem fala) as seguintes frases nonsense:

1- “E aí? Você vai deixar sua irmã mexer nas suas coisas?”

Primeiro erro e muito cometido é esse: a ideia de que a criança maior terá a vida completamente bagunçada pela menor, e deverá ser conivente com isso.
Mas a realidade NÃO é essa. Se você quer incentivar o compartilhamento dos objetos e da vida, num modo geral, ACRESCENTE, ao invés de diminuir.
Você pode falar “Uau! Que demais ter uma irmã. Você poderá brincar com os brinquedos dela, e ela com os seus. Vocês terão muitas coisas juntas”

2- “Preparada para perder o colo da mamãe?”

Ainda me surpreende que algumas pessoas sejam capazes de dizer isso mas…. Infelizmente ainda são.
Ninguém perde colo nenhum. E mesmo que isso acabe diminuindo mesmo, não é algo que uma criança precise se preocupar. A mãe e o pai darão um jeito. Ninguém deixará a criança maior chorando no canto por falta de colo. Então ao invés de dizer isso, não diga nada. Sério.

3- “Quer dizer então que você não é mais o bebê da casa?”

Eu sei que a ideia da frase é incentivar a criança a sentir-se importante, mas nem sempre é o que acontece. A frase pode causar o efeito contrário, já que a maior pode acabar entendendo isso de uma forma negativa, pensando inclusive, que perderá muitas coisas com isso.
O ideal é incentivar a autonomia, mas sem dar entender que ela precisará mudar seu jeito pra isso.
Por exemplo: “Que legal, você agora é irmã mais velha. O que você mais quer ensinar para sua irmãzinha?”

4- “A mamãe e o papai precisarão ficar muito tempo com o bebê, mas a titia (ou vovó, ou qualquer outro título que você queira colocar aqui) não vai deixar você de lado, tá?”

Que bom que a criança terá outras pessoas que estarão ali pra ela, mas você não precisa diminuir o papel da mãe e do pai por causa do bebê. Quer curtir a mais velha? Então é só falar: “Vamos tomar um sorvete, e daí quando a gente voltar a mamãe e a bebê estarão te esperando para um banho gostoso” (Apenas um exemplo. A ideia é incentivar a alegria da criança em voltar pra casa e viver com quem ela vive)

5- “Você não vai ter ciúmes da sua irmã, neh?”

Primeiro que: ciúmes a gente não controla, simplesmente acontece. E outra: a criança pode nem saber nomear isso ainda. Então essa é aquela pergunta totalmente desnecessária.
Até porque, isso pode fazer com que ela pense que não pode sentir isso, quando, no fim das contas, é completamente normal.

O ideal aqui é incentivar a irmandade com frases positivas. Eu costumo ser bem realista com a Bellinha e digo que alguns dias serão difíceis, mas que ela irá amar a experiência.
Procuro sempre perguntar como ela se sente, para que quando a Luísa esteja aqui, ela se sinta confortável para expressar seus sentimentos.
O trabalho conjunto funciona muito melhor do que o sentimento preso na garganta.
Ciúme não é doença e não é motivo de pena. Não é correto bloquear esse sentimento, mas é essencial sabermos trabalhar com ele.

Extra

Assim que o bebê nascer, não torne-o intocável!

Sei que crianças não têm o mesmo cuidado e tato que um adulto tem, mas não é justo criar meses de expectativas, e não deixar a criança mais velha nem se aproximar direito.

Procure incluí-la em todas as atividades. Na hora de trocar fraldas, deixe que ela te ajude alcançando tudo o que precisa e vendo o passo a passo…
Na hora do banho, pergunte se ela quer passar o sabonete na perna, enquanto você segura o bebê…
Mostre o quanto ele é frágil, mas incentive a delicadeza, ao invés da proibição.
Quanto maior for o incentivo da ligação ainda pequenos, maior será o vínculo quando forem maiores.

E lembrem-se: Criança não tem culpa de sentir ciúmes. 
Dê seu melhor para o convívio e lembre-se que o que você fizer hoje, pode ser o intensificador do amor que seus filhos terão um pelo outro.

Uma criança não é rival da outra e nem melhor que a outra. Elas apenas estão em fases diferentes e têm necessidades diferentes. Procure dar o seu melhor sempre, e tudo sairá bem.

Um beijo,

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *