Maternidade, Rotina

Consumismo Materno – Coisas que comprei por impulso e o que realmente valeu a pena

Antes de qualquer coisa: PERDÃO PELO SUMIÇO!
A Bellinha tá crescendo, o trabalho tá puxado e não tá fácil!
Mas nada que um malabarismo emocional não conserte.
Pensei em várias coisas pra vir aqui contar pra vocês, já programei alguns posts pra publicar, mas hoje vim falar sobre o mal do “consumismo materno”.
O que é? De onde vem? Será que acaba?
Bom, o que é, é simples:
É aquela vontade absurda que a gente tem, de ter tudo relacionado a maternidade. Os melhores carrinhos, a cadeirinha que vibra/toca música/faz dormir e etc, o ursinho que reproduz o som do útero, a bolsinha térmica com camomila/erva-doce e etc… Enfim, desde coisas simples e baratas, às mais complexas e caras! A gente quer tudo. Precisa de tudo. E compra de tudo.
 
De onde vem?
Vem junto com a barriga. Rsrsrsrs Surge junto com aquele teste que marca um POSITIVO, sabe?! E já emendando a próxima pergunta, não, acho que não acaba nunca! L
Maaaaaas, eu já estou nesse barco há alguns meses, já acertei muito nas compras, assim como, errei bastante.
Por isso vou contar pra vocês as coisas legais, úteis, e não tão úteis assim que eu já “investi”.
(Não vou citar aqui materiais de higiene e roupinhas, porque essas coisas são mais “pessoais”)
Cadeirinha Minha Infância Fisher Price

 
Merece: Nota 10
Preço médio: R$ 399,00 (novo)
Porquê comprei: Primeiro, eu comprei e não paguei esses R$ 399,00 não. Como vocês já sabem, sou “brechózeira”. Tudo que gosto e está com bom preço e em boas condições, eu compro em brechó. E eis que, um belo dia (a Bellinha tinha 2 meses e meio), eu fui no meu brechó favorito, e lá estava essa cadeirinha. Coloquei a Bellinha sentadinha lá, enquanto eu olhava as roupinhas. E não é que ela ficou quietinha, calminha, e fez cara de quem amou? Pronto, suficiente pra mamãe babona aqui investir o que fosse preciso (paguei R$ 150,00 nela, em excelente estado e tudo funcionando de acordo!).
Porquê gostei: Essa cadeirinha me ajuda MUITO. Desde que comprei, o lugar dela é na cozinha. Quando fico em casa, é lá que passo a maior parte do tempo (cozinhando, arrumando as coisas, lavando roupas, estendendo as roupas e etc), então, coloco a Bellinha na cadeirinha, ela fica lá, quietinha me olhando, brincando com os bichinhos. Não ocupa tanto espaço quanto um carrinho, e ela se diverte.
Mais prós: Essa cadeira suporta até 18kg. Ou seja, não vou perder tão cedo! É colorida, ajuda o bebê a desenvolver bem e a se movimentar (Bellinha já sabe se balançar sozinha!).
Arrependimento: Não ter comprado antes!
Ideal: Desde que o bebê nasce. Ele tem nivelamento de altura, pra deixar mais “cadeira”, ou pra deixar mais “deitadinha”. Pra bebês novinhos é ótimo porque ela vibra. E isso acalma! (O arco com os bichinhos dá pra tirar e colocar a hora que quiser, por isso, não atrapalha).
Almofada de amamentação
Merece: Nota 7
Preço médio: R$ 49,00
Porquê comprei: O marketing do produto foi bom. Estava passeando pela feira de gestantes e bebê, e me deparei com uma baia só disso. Aí me explicaram que é ótimo pra amamentar, não cansa os braços, apoia o bebê numa ótima posição e etc.
O que eu achei: Realmente ajuda. Mas pra mim, foi questão de algumas semanas só. No começo é ótimo, a gente tem todo cuidado, quer fazer tudo perfeito e tudo mais. Mas, é uma coisa a mais a ser feita. Porque você tem que ir pegar a almofada (você não vai ficar carregando um treco desse debaixo do braço), ajeitar no colo e etc etc etc. Depois te um tempo, o bebê tá chorando, você simplesmente abaixa a blusa e dá de mamar! Pronto. Sem firulas, sem enrolação. E assim, a almofada vai ficando pra escanteio.
Um pró: A utilidade dela não acaba no quesito amamentação. Depois dá pra usar pro bebê ficar deitadinho, apoiado e etc. Acho que ainda vou usar bastante, como apoio pra Bellinha. Mas por enquanto, tá jogada na sala. rsrsrs
Arrependimento: Não que eu me arrependa, mas também não é tuuuudo aquilo que eu imaginada. Não é essencial a ponto de não saber como seria minha vida sem esse item.
Ideal: Desde antes de o bebê nascer. No fim da gravidez, usei de apoio para os pés. HAHAHA.
 
Almofada para pescoço
 
Merece: Nota 2
Preço médio: R$ 30,00
Porquê comprei: Imaginei que isso fosse super útil, pra evitar aquela “cabeça caída” quando bebê dorme no bebê conforto no carro. E tinha na mesma loja que comprei a almofada de amamentação. Aí aproveitei.
O que eu achei: Inútil! rsrsrsrs Não é recomendado usar antes dos 3 meses, e depois dos 3 meses, o bebê não deixa o negócio no pescoço (porque deve incomodar né?!). Virou um mordedor gigante.
Um pró: Pode ser usado como travesseiro “anti-refluxo”. Eu até usava no trocador dela, pra cabecinha ficar erguida, mas qualquer outro travesseirinho resolveria.
Arrependimento: Ter gasto R$ 30,00 nisso! rsrsrrs
Ideal: Talvez mas tarde, depois de uns 2 anos, em casos de longas viagens pra apoiar o pescoço da criança. Mas por enquanto, não é ideal, nem útil! rsrsrs
Móbile para bebê conforto 
Merece: Nota 2
Preço médio: pode variar de R$ 20,00 até R$ 100,00
Porquê comprei: Achei bonitinho e imaginei que fosse ótimo pra entreter o baby durante longos percursos de carro.
O que eu achei: Aqui não vingou não. A Bellinha sempre fez o tipo curiosa, e o negócio dela é ficar olhando pela janela (nem que seja só o céu passando), e esse móbile atrapalha a visão, o que a deixava mais irritada.
Um pró: Se seu bebê for calminho e não tão curioso e intrometido como a minha, vai ser super útil. hahahaha
Arrependimento: Não serviu pra nada. Então, mesmo que tenha sido baratinho, não teve utilidade. Dinheiro gasto a toa.
Ideal: Muitos bebês se acalmam quando vêem coisas coloridas e que fazem barulho. (O que não é o caso da Bellinha), então, pode ser ideal em alguns casos sim, desde cedo.
 
Espelho retrovisor para carro (bebê)
Merece: Nota 4
Preço médio: R$ 35,00
Porquê comprei: Estava entediada em casa e precisava sair. Mas era muito insegura de dirigir com a neném no banco de trás, sem poder vê-la. Esse retrovisor caiu como uma luva na época, já que me permitia olhar se ela tava dormindo, brincando ou só olhando a paisagem. (O que me deixava mais tranquila, e dirigia sem medo)
O que eu achei: Foi útil nas primeiras semanas. Eu conseguia ver se ela estava dormindo, e isso me tranquilizava. Mas depois de um tempo de uso, eu bati no retrovisor e ele “desfocou” dela. E aí, vi que mesmo assim, a gente consegue dirigi. Afinal, se ela não tava bem, ela chorava, e pronto. Não tinha o que fazer nesses casos, com ou sem retrovisor. Então, foi bom pra eu perder o medo de dirigir com ela, mas só. Não se tornou algo necessário e essencial.
Um pró: Dependendo do retrovisor e do jeito que ele é colocado, o bebê consegue se enxergar. A Bellinha se entretinha. Ficava fixada olhando o próprio reflexo no espelho.
Arrependimento: Não me arrependi porque me ajudou, nem que tenha sido por pouco tempo.
Ideal: Para as mamães que dirigem e têm que sair sozinhas com o bebês no carro, independente do tamanho.
Um aviso: Muito cuidado na hora de colocar. Verificar sempre se está bem preso. Uma vez estava com a Bellinha no carro, num trânsito danado, e ela estava chorando muito. Consegui acalmá-la, e minutos depois, o retrovisor caiu em cima dela. Aí o berreiro voltou e eu quase taquei o negócio pela janela! rsrsrsrrs
Sling
 
Merece: Nota 10
Preço médio: R$ 80,00
Porquê comprei: Vi num site uma vez e achei muuito legal. Mas não estava disposta a pagar os quase R$ 100,00 que custavam. Aí, no final da gravidez, fui dar aquele passeio básico no meu brechó favorito, e tinha acabado de chegar um Sling rosinha, lindo, de argolas, e estava por R$ 35,00! Não pensei duas vezes e comprei.
O que eu achei: MA-RA-VI-LHO-SO. Fucei tudo quanto é vídeo no youtube que ensina como usar, e fui testando. Desde que nasceu uso com a Bellinha, e sempre foi um calmante. Ela sempre dorme quando a coloco no sling. Ou seja, se sente protegida a ponto de relaxar e dormir. Eu não vivo mais sem. Não machuca tantos as costas, e é super indicado pra postura do bebê. (Veja AQUI como usar)
Um pró: Tudo. É prático, versátil, não incomoda e ajuda bastante.
Arrependimento: Nenhum!
Ideal: Desde recém-nascido. Ajuda no aconchego, alivia as cólicas, o choro, o dengo. E pelo jeito é útil por muito tempo. A Bellinha vai fazer 7 meses e ainda usamos tranquilamente. Conheço casos em que a criança já tem 2 anos, e ainda é carregada no sling. (Tem diversas formas de se usar, por isso dá pra tanto tempo. Você adapta o modo à idade do bebê! Perfeito!!!!)
Canguru

 
Merece: Nota 0
Preço médio: R$ 100,00
Porquê comprei: Já tinha o sling e só comprei depois que voltei a trabalhar, pra deixar com a minha sogra (ela se bateu um pouco com o sling, aí tentei facilitar). Estava em promoção, aí resolvi arriscar.
O que eu achei: Péssimo. Ergonomicamente péssimo. A Bellinha odiou. Parece que machuca (acho que machuca mesmo), e não dá segurança nenhuma. Tentei usar uma vez e desisti. Voltei pro sling sem pensar duas vezes.
Um pró: Nenhum!
Arrependimento: Todos os possíveis. Dinheiro jogado fora. Achei super incômodo.
Ideal: Nada ideal.

Móbile musical para berço


Merece: Nota 8
Preço médio: R$ 160,00
Porquê comprei: Esse na verdade eu ganhei. Meu tio foi pra Miami e trouxe de presente pra Bellinha.
O que eu achei: Legal. A Bellinha não dorme no berço ainda (AINDAAAA!!!), então ele só serve de distração durante o dia quando preciso fazer algo (arrumar o quartinho dela, por exemplo), e daí a coloco no berço pra ficar brincando. Ela fica super atenta aos bichinhos rodando e resmunga quando a música pára.
Um pró: Distração total. Me dá pelo menos 5 minutinhos de paz!
Arrependimento: Nenhum, ainda mais que foi um presente né?! Ah, e seria algo que eu compraria de qualquer forma, nem que fosse um usado.
Moisés
Merece: Nota 10
Preço médio: R$ 300,00 (novo)
Porquê comprei: Mais um item que não tive que comprar, mas se fosse necessário, investiria com certeza. Uma amiga me emprestou, já que não queria deixar a Bellinha sozinha no quartinho quando nascesse (muito pequena; mãe de primeira viagem; insegurança; entre outras coisas mais), e como meu quarto é minúsculo, não caberia um chiqueirinho, o berço, ou até mesmo, o carrinho dela. O moisés encaixou perfeitamente, o espaço EXATO entre minha cama e o guarda-roupa. Então, ela dorme do meu lado, “nariz com nariz” como eu gosto de dizer, dentro do moisés.
O que eu achei: Perfeito! Maravilhoso. Já não sei o que seria da minha vida sem esse item. Na verdade, não sei o que será da minha vida quando ela não couber mais nele! (Ela ainda cabe, mas daqui uns 2 meses acho que vai ficar apertado demais :/). Pra mim é uma bênção, agora, mais do que nunca, já que voltei a trabalhar e o cansaço multiplica. Então, se eu tivesse que acordar de madrugada, levantar da cama, ir até o quartinho dela e dar de mamar, acho que já teria surtado faz tempo. Com o moisés do lado da minha cama é tudo prático. Resmungou: pego no colo, dou de mamar e pronto. Já ali do lado. Não preciso nem me descobrir. Sem contar que sou super neurótica. Tenho que VER que está tudo bem. Ver que tá respirando, se tá coberta, e etc. Do meu ladinho, eu nem me canso. 🙂
Um pró: Fora o fato de evitar um mega cansaço, ele também é super prático. Dá pra levar em viagens e tudo mais.
Arrependimento: Arrependimento não, mas uma pena não ter moisés maiores.
Ideal: Pra quem, assim como eu, quer ter o bebê pertinho e poupar-se de ter que levantar de hora em hora praticamente.

Bomba de tirar leite (nariz de palhaço)


Merece: Nota 4

Preço médio: R$ 15,00
Porquê comprei: Pra ter em casa caso fosse necessário tirar leite.
O que eu achei: Não vou dizer que amei, porque esse negócio judia da gente, mas me ajudou no começo da amamentação, porque o seio produzia bastante leite, e mesmo mamando várias vezes, sobrava e o peito ficava cheio. Então, pra esvaziar durante o banho, serviu. Mas não vou mentir: dói bastante.
Um pró: É rápido e prático. Pra usar no banho, até que serve.
Arrependimento: Machuca bastante, e não serve pra tirar o leite pra estoque.
Ideal: Apenas para esvaziar o peito em casos urgentes e rápidos.
Bomba de tirar leite (elétrica)



Merece: Nota 6
Preço médio: R$ 150,00
Porquê comprei: Para tirar leite para fazer estoque, já que voltei a trabalhar quando ela tinha apenas 4 meses e meio.
O que eu achei: Ela realmente é mais eficiente do que qualquer bomba manual. Não cansa tanto, e sai mais leite, em menos tempo. Eu conseguia “ordenhar” bastante, comparado à bomba “nariz de palhaço”, mas era um baita empenho. Porque a montagem dela é chata, ter que ficar presa a um lugar é horrível (ela funciona a pilha também, mas a potência não é a mesma do que usá-la conectada à tomada), e ela também machuca, porque, mesmo tendo como regular a intensidade, pra tirar bem o leite, na intensidade máxima, machuca.
Um pró: A quantidade “ordenhada” é maior. Para casos de estocagem, é a melhor opção.
Arrependimento: Não posso me arrepender porque uso até hoje, mas o trabalho que ela dá de montagem e etc, confesso que me estressa um pouco. rsrsrs
Ideal: Apenas em casos que a mãe precisa estocar o leite. Para esvaziar somente para “alívio”, é muito trabalho.

Bom gente, por hoje é só.
Quem quiser dicas sobre algum outro produto, é só perguntar ali nos comentários.
E também quero saber sobre vocês: O que foi útil e o que não foi?
🙂

Beijos

 

5 thoughts on “Consumismo Materno – Coisas que comprei por impulso e o que realmente valeu a pena

  1. Amei tudo e concordo na nota 10 para o SLING, deve ser ótimo mesmo, eu to louca pra comprar um tmbm, mas prefiro o modelo wrap que é amarrado no corpo, pois tenho problema na coluna e o de ombro doeria muito mais 😉 Parabéns pelo blog.

  2. Fenomenal esse blog, conheci essa semana e viciei, já li de cabo a rabo.
    Tb sou mamãe de primeira viagem de um lindo príncipe de quatro meses e meio e me identifiquei muito com tudo aqui, parabéns!

  3. Ola, acabei de conhecer seu blog e estou amando Rs
    Vi a dica do Moises, onde vc deixava ele? Pq ele não tem pezinho né? Queria fazer a mesma coisa mas ainda estou insegura se vale a pena comprar….
    Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *