Maternidade, Rotina, Saúde e Alimentação

Dicas de desfralde – O que deu certo por aqui

A ideia de desfralde pode parecer um horror para muitas famílias, mas hora ou outra, ele precisa acontecer.

Por aqui, o processo foi bem mais fácil do que imaginávamos. Mas sei que isso também teve a ver com algumas atitudes que tomamos para prevenir que a experiência fosse frustrante para ela (e para nós, claro).

A primeira coisa que devemos avaliar é: A CRIANÇA ESTÁ PRONTA PARA ISSO?

Existem alguns sinais importantes que mostram que ela pode estar pronta para iniciar o processo de treinamento, como:

  • A criança já se sente incomodada com a fralda, e tenta tirá-la com frequência
  • Ela demonstra interesse ao ver o vaso sanitário ou piniquinho (Isso acontece normalmente quando o pai (no caso dos meninos) ou a mãe (no caso das meninas) já foi ao banheiro com a criança junto. Isso acaba sendo um ‘exemplo’ de ‘como fazer’)
  • Já tem coordenação motora para pular com os dois pés e subir escadas intercalando os passos (nada cientificamente comprovado, mas este é um sinal que alguns psicólogos destacam)
  • Já avisa (ou deixa claro fazendo caretas, por exemplo) que quer fazer ou que está fazendo xixi e cocô.

A Bellinha apresentou todos esses sinais pouco antes de completar 2 anos, então iniciamos os treinamentos de desfralde. Estas são as principais dicas que temos para dar sobre o assunto:

1. TENHA PACIÊNCIA

Porque paciência é o primeiro item pra qualquer tentativa, não é mesmo?
A verdade é que tem horas que você vai querer desistir.
Depois de umas roupas sujas, você vai se perguntar qual seu problema… Então: PACIÊNCIA nessas horas.
Seu filho sente sua tensão, e se ele perceber que xixi e cocô são sinônimos de stress, isso poderá causar alguns traumas no quesito banheiro.
Respire fundo e converse.

2. ENTRETENHA

O banheiro não pode ser uma super obrigação. Crianças gostam de diversão. E se até a comida a gente adapta com umas carinhas pra alegrar, por que não criar um método divertido no banheiro?
Pode ser historinha… Deixar carimbar um papel… Distrair é a chave.
Faça da hora do banheiro um momento que ele queira voltar.
Aqui funcionou livrinho, e a bagunça pra ouvir o barulho do xixi/cocô: ficavamos fazendo auê pra ouvir os sons de banheiro (e ela achava o máximo, ainda mais porque os sons que saíam, vinham dela).

3. VÁ COM CALMA

Não existe desfralde total em uma semana. É preciso seguir etapas e criar confiança. Deixe a criança entender o próprio corpo.
Teste uma manhã sem fraldas, depois uma manhã e uma tarde, depois um dia inteiro, e aos poucos o desfralde noturno (que é o mais complicado, mas basta você reconhecer os sinais e tudo ficará bem).
Obs.: A fralda noturna deve permanecer até quando sentir necessidade, mas o famoso ‘xixi’ na cama pode acontecer até os 6 anos (caso se faça frequente, é importante procurar um psicólogo)

4. RECONHEÇA O SUCESSO

Aqui não rolou só elogio para celebrar os acertos no vaso… Rolavam pulos de alegria, gritinhos de felicidade, um abraço de parabéns e tudo que tinha direito.
Criança gosta de coisas alegres.
E toda vez que você fica feliz junto, eles entendem que é algo que devem continuar fazendo.

5. AJUDE-O A ENTENDER O QUE É ISSO

No começo, é difícil para a criança assimilar a sensação de vontade, com a real necessidade de ir ao banheiro. Afinal, foram alguns meses fazendo xixi e cocô sem precisar avisar.
Então comece levando-o eventualmente ao banheiro, mesmo que ele não peça. Diga que quer ouvir o som do xixi, ou algo do tipo… Deixe-o sentadinho o tempo que precisar (e que ele aguentar)… Enquanto isso, converse, distraia… E se rolar um xixizinho ou um número 2, siga as dicas número 2 e 4 🙂

6. SAIBA QUE OS OUTROS TERÃO QUE AJUDAR

Fique atenta em como as outras pessoas agem com seu filho com relação ao desfralde.
Se você faz todo esse esforço, e chega final de semana e a vó coloca a fralda e não insentiva também, tudo pode ir por água abaixo.
Então, quando quiser iniciar o processo, avise a todos e peça ajuda.
Obs: Mães que tem os filhos em escolinha e estão em época de desfralde (porque a escolinha, infelizmente, impõe): Veja como eles agem com relação a isso. Já vi casos das professoras forçarem demais e a criança criar um trauma enorme de penico e privada.
Se ele tem relutado demais em casa, e tem apresentado sinais de medo: verifique. Pode ter algo de errado na maneira que estão tentando desfraldar seu filho na escolinha.
Obs 2: Se seu filho está na escolinha, tá aí mais um motivo pra você tentar um desfralde nada traumático: se ele aprender em casa, na escolinha ele irá apenas pedir.

7. ESPERE O TEMPO DA CRIANÇA

Último item, e um dos mais importantes: Cada criança tem seu tempo.
Não é porque a filha da prima da cunhada da vizinha desfraldou com 6 meses, que seu filho também tem que ter essa “habilidade”.
Já vi crianças com 1 ano e meio prontas para desfraldar, mas também já vi crianças de 3 anos que não apresentavam sinais. Ou seja: cada um, cada um.
A parte principal é você despertar o interesse no seu filho. Ele tem que entender que é algo legal e que vai ser bom pra ele.
Se você simplesmente impor que está na hora, dificilmente dará certo.
Faça aos poucos, e só avance para a próxima fase quando a anterior der sinais exatos que já acabou (um exemplo é o desfralde noturno: Se você não tem sucesso no diurno, como vai ficar tranquila tirando a fralda a noite também?!).
Exigir da criança que pare de usar fraldas de uma hora pra outra sem nunca ter despertado o interesse, é cilada.
Lembre-se sempre do passo 1.

Alerta: Um bom treino pode evitar muitas enfermidades como a enurese (urinar sem perceber) e a temível encoprese (fazer cocô na roupa). Por isso é muito importante entender o tempo de cada um.

Bom gente, por aqui funcionou assim, e espero que ajude de alguma forma.
Caso tenham outras dicas, me contem nos comentários 🙂

Estou na torcida por vocês.

Um beijo,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *