Puerpério, Textos Gravidicas

Por que as empresas deveriam investir nas mães

por-que-investir-nas-maes

Vocês me conhecem especialmente como ‘mãe da Bellinha’, mas hoje eu vim falar um pouco mais sobre um outro compromisso meu: o de profissional.

Atuo ha 8 anos assessorando executivos de grandes empresas, e sempre fui filha de comerciantes. Estar no mercado de trabalho me fez perceber uma coisa: Ser mãe, ou querer ser mãe, muitas vezes contam como “defeito”. Aquele pensamento atrasado (e um pouco machista, né?!), de que a mulher dá mais custos pois fica 4 meses ‘recebendo sem trabalhar’, e ‘atrasa o desenvolvimento do setor’.

Tudo se intensifica num momento onde o mercado está escasso, e as pessoas são cada dia mais descartáveis. Não existe mais valor profissional, apenas preço. E com tanta gente louca para trabalhar, e ainda sem filhos, vamos ficando cada vez menos presentes como colaboradoras.

Como tudo na vida tem um pró, graças a isso eu vejo cada dia mais mães se encontrando na vida de artesãs, autonomas, e tomando o rumo de suas vidas conciliando a maternidade, com seu ganha pão.

Mas para todas aquelas que ainda não se descobriram neste novo mercado cheio de criatividade e amor, eu resolvi compartilhar com vocês 4 motivos que as fazem valer muito como profissionais, justamente por serem MÃES.

workingmom-you-can-do-it-289x300

1 – Necessidade

Deixar de participar da vida do filho com uma boa frequência por causa do trabalho, é no mínimo, uma grande necessidade. Mães que trabalham fora na maioria das vezes, PRECISAM trabalhar. E esse é o maior motivador para um trabalho bem feito. Ninguém escolhe passar o dia longe da cria para não render. Se está ali, é porque precisa estar ali. E assim, faz valer todo esforço e tudo o que ela abdica com essa rotina insana.

2 – Comprometimento

Uma coisa é fato: O filho sempre será sua prioridade. Mas isso não quer dizer que ela deixará seu trabalho por fazer. Pode ter precisado sair mais cedo no dia anterior por uma emergência, mas no dia seguinte estará 200% empenhada em deixar tudo em ordem. Afinal… Releia o item 1!

3 – Multifuncionalidade

Mães são seres que precisam ser estudados. Por algum motivo incrível e divino, assim que recebem o filho no colo, adquirem novos dons. Tudo bem que a mulher já tem um pouco de domínio em fazer mais de uma tarefa ao mesmo tempo, mas com o ‘gene-mamãe’, esse poder se multiplica, e conseguem administrar 5 assuntos ao mesmo tempo, sem nem prender a respiração.

super-mom1

4 – Bom relacionamento

Mães (na maioria das vezes) são empáticas. E com isso, conseguem manter bem seus relacionamentos interpessoais, já que estão acostumadas a serem boas ouvintes, e a colocar-se no lugar do próximo. Com a maternidade, também adquirem mais maturidade e senso de coletividade (egocentrismo sai um pouco de cena depois dos filhos)


Não entendam como se eu estivesse dizendo que as mães são melhores profissionais que as ‘não-mães’. Mas em um mundo onde ha julgamentos excessivos e pouco espaço para aquelas que escolheram não colocar o trabalho em primeiro lugar, é bom lembrar que ainda temos nossas qualidades. E que também, somos capazes de lidar com mais de uma função na vida, sem perder a postura e o equilíbrio.

Que o mercado de trabalho entenda:

Filhos não são atrasos de carreira. São motivadores pessoais.

E ao nos tornamos pessoas melhores, aperfeiçoamos tudo aquilo em que colocamos o nome. E não seria diferente com um cargo profissional, não é mesmo?

Um beijo,

assinatura stephanie gravidicas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *