Gentilezas de Criança – Não as ignore

Se tem uma coisa que eu amo nessa vida é gente educada.
Aquela coisa básica de “obrigada”, “por favor”, “eu posso?”… 
Na minha infância minha mãe costumava chamar estas gentilezas de “palavrinhas mágicas”.
Eu não utilizo esse termo para ensinar, mas desde que a Bellinha começou a entender melhor as coisas eu faço questão de mostrar a ela o quanto é bonito (e necessário) ser gentil.

Não, eu não fico igual uma louca agarrando a menina pelo braço e a forçando a dizer OBRIGADA.
EU sempre agradeço, por tudo. E ela sempre reparou nisso.
Ela tinha acabado de começar a falar palavras soltas e “bigado” foi uma das primeiras que ela pegou gosto em dizer.

Mesmo aprendendo pelo exemplo (que é a forma mais linda/fácil de ensinar), como toda criança espuleta que se preze, algumas vezes ela acaba esquecendo de agradecer (e de pedir por favor e etc etc).
Para manter o habito, eu apenas olho e falo: “como se diz, filha?”, e ela complementa com um “obrigada” (ou “por favor”, ou “com licença” e por aí vai).

Eu sou muito firme com esse tipo de coisa, pois acredito que nunca é cedo demais para aprender a ser educado, então, me policio muito para não deixar acontecer nenhum deslize.

Até aí, ótimo! Minha consciência é bem limpa com relação a isso, até o momento que:
ALGUÉM INTERROMPE!

Deixa eu explicar:
Não foi uma, nem duas, nem três vezes. Tem uma coisa que quase sempre acontece e me deixa frustradíssima…
Você está lá com sua filha e vem alguém e dá alguma coisa para ela (com meu consentimento, POR FAVOR!)… No auge da euforia ela vira as costas e sai.
Você vai lá, chama a bonitinha e fala: “Filha, você acabou de ganhar um presente! Que legal! Como se diz quando ganhamos algo?”
Aí o ser humano que presenteou já começa “Não precisa… Deixa ela”…
E você fica ali, olhando pra’queles olhinhos e repetindo: “como se fala, filha?”
E a pessoa insiste: “Não precisa agradecer, deixa ela”.
GENTE, PRECISA SIM.

Agradecer faz parte da vida.
Aprender a agradecer faz parte do processo.

As pessoas precisam entender que na cabeça de uma criança, se ela não precisa agradecer fulano, por que ela precisaria agradecer ciclano?

É todo um procedimento de ensino intenso em casa, mas que precisa da noção e da ajuda de quem é de fora.

Então, adultos: Nunca dispensem a gentileza de uma criança.
Toda vez que ela vir o quanto é legal e o quanto é retribuída, mais ela irá fazer.
E o mundo precisa MUITO disso.

Não adianta colar adesivo no carro dizendo que “gentileza gera gentileza”, se você não agradece quando alguém segura a porta do elevador para você, se você não pede licença quando está passando, se você não complementa um pedido com “por favor”…
AS CRIANÇAS ESTÃO OLHANDO.
E aprendem muito com isso.

Por isso, seja gentil com todos e valorize os esforços das crianças no momento em que as ensinamos a serem gentis com vocês.

Sempre que ouvirem um baixinho ou uma baixinha agradecendo, você não precisa responder que aquilo não é necessário…
Que tal começar a responder com “VOCÊ MERECE”?

Afinal, todos nós merecemos (e precisamos) das pequenas gentilezas da vida.

Temos a oportunidade de criarmos seres humanos extraordinários, só precisamos de uma “mãozinha” do resto do mundo.
Obrigada, de nada! :p


One Reply to “Gentilezas de Criança – Não as ignore”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *