Mastite – O que é, e como prevenir

Amamentação já é algo difícil e doloroso por si só. Não bastasse o começo traumático (pelo menos para 99% das mulheres que conheço foi assim), o desenrolar desse enredo pode vir cheio de imprevistos, e mais dores.

Só quem já passou por uma mastite sabe do que eu estou falando.

Você está lá, plena e confiante que superou a parte de complicada e PÁ! Seu peito vira uma pedra e chega a dar vontade de gritar de dor.

Infelizmente, isso é mais comum do que a gente imagina. A mastite atinge milhares de mulheres durante o período em que amamentam, e muitas vezes, as fazem desistir de continuar (porque sim, a dor é tenebrosa mesmo).

Mas embora pareça que você vai sofrer com isso para sempre, ela tem cura. E também, há métodos de prevenção que realmente funcionam.

A mastite é uma inflamação da mama devido ao entupimento dos canais por onde o leite passa. Ou seja: Entope quando enche demais!

Os sintomas vão desde dor e inchaço, à vermelhidão e febre.
É possível tratar já no começo sem precisar sair de casa, mas os casos mais sérios precisam de acompanhamento médico e antiinflamatórios.

Para não deixar chegar a esse ponto, separei para vocês várias dicas de como prevenir, e até mesmo, como tentar aliviar o sofrimento assim que sentir o primeiro sinal de incômodo:

1. Não espere encher por completo

Como já falei ali em cima, o problema é justamente quando o peito fica muito cheio e chega a entupir os canais por onde o leite passa. Por isso, é imprescindível certificar-se que o bebê mamou tudo, a ponto de deixar os seios “murchos”.
Obs.: Se ele dormiu no processo da troca de lado, é ideal que você esvazie manualmente ou com o auxílio de uma bomba (manual ou elétrica).
Obs.2: O problema de deixar o peito cheio demais, é que isso também atrapalha na pega. O seio fica escorregadio e a boca do bebê não encaixa como deveria. Isso pode deixá-lo irritado, e consequentemente, irá fazê-lo desistir de mamar. O que leva, claro, à quase “explosão” dos seios.

2. Utilize roupas adequadas

Usar tops de academia, ou quaisquer outros estilos de sutiãs que apertem muito os seios, pode causar pressão demais, fazendo com que o leite não consiga descer direito. E assim, podem acabar entupindo mais uma vez os canais. O ideal é usar peças confortáveis e leves. Tecidos de algodão são os mais indicados pois ajudam a prevenir o desenvolvimento de bactérias.

3. Evite estresse

Infelizmente o estresse está diretamente ligado aos maiores casos de desistências na amamentação. Isso porque ele interfere em tudo.
Por isso é importante começar a viver de forma mais leve (por mais difícil que seja), para evitar maiores problemas, e a dor horrível de uma mastite.

4. Não tome banho quente

Não sei quem aí também percebeu, mas eu até citei AQUI o quanto é engraçado como começamos a “vazar” durante o banho. Isso porque, simplesmente relaxamos (ou quase, pelo menos), e isso acaba estimulando ainda mais a descida do leite. Banho quente então, tende a ser ainda mais “zen”… Então se a ideia é não deixar o peito encher ainda mais, ele precisa estar fora de cogitação. Nada de correr para debaixo do chuveiro com água quentinha para tentar “aliviar um pouco”, porque isso só vai piorar.
O ideal é compressa FRIA, e o banho só depois que já estiver tudo ok de novo…

5. Faça massagem

Massagear os seios pode ajudar a desempedrar o leite. Os movimentos devem ser suaves, e sempre em forma circular. Iniciando perto da aureola e terminando nas extremidades.

IMPORTANTE!
A avaliação médica é indispensável em caso de febre, vermelhidão e dor persistente. As dicas acima são ótimas para PREVENIR. O tratamento só pode (e deve) ser prescrito por um profissional da área.

Um beijo,

 

 

6 Replies to “Mastite – O que é, e como prevenir

  1. A minha prima sofreu muito com isso Ste, ela chorava muito de dor. Eu tenho muito medo disso e agora que eu entendi o motivo de tirarem o leite com aqueles aparelhinhos.

    Vou seguir todas as suas dicas, prometo! uhauahuahuaha

  2. Nossa, minha tia teve uma vez e disse que doía muito, fora que no início ficou pensando que era mil coisas graves! Muito bacanas suas dicas, é bom que a gente já fica de olho a qualquer sintoma desses e corre pro médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *