Maternidade, Textos Gravidicas

O melhor livro sobre maternidade que existe

Vivemos na era da maternidade real.
Do puerpério reconhecido. Dos sentimentos aflorados da mãe, para seu reconhecimento como mulher após os filhos.

Falamos da parte dolorida da amamentação, da privação de sono, da ausência de auto estima.
Assistimos, lemos e até escrevemos sobre o que tanto dói.

Tratamos da maternidade como ela é. Dura, intensa, ininterrupta.
Se é mãe uma vez, se é mãe para todo o sempre.

Não existe pausa mental, relaxamento corporal, nem magia pra todas as novidades que experimentamos assim que recebemos nossos filhos nos braços.

Eu entendo da dor física e do esgotamento mental.

Da solidão nas noites frias amamentando enquanto todo o resto do mundo dorme.

Entendo também do choro incontrolável no banho, que parece nem ter acontecido assim que desligamos o chuveiro.

Eu entendo tudo isso e acho justo que todas as mães que estão por vir saibam que não estão sozinhas, e nem que estão errando enquanto se perguntam onde está o arco íris da maternidade.

Todas essas dores que falei ali em cima são implacáveis e reais.
E nós precisamos sim, falar e ouvir muito sobre elas.

Mas enquanto a gente pensa nas dificuldades, eles vão crescendo. Sem aviso prévio, sem nem um tempinho pra gente meditar e absorver tudo o que acabou de acontecer na última fase que passou.

De repente, já não trocam mais o dia pelo noite, nem o “R” pelo “L”…
Já aceitam a cama própria e às vezes demoram para encontrar uma posição confortável em nosso colo.

E fica claro que: A amamentação tem prazo de validade, um dia a criança dorme a noite inteira, e hora outra nos reencontramos ao passarmos aquele batom vermelho que estava guardado na gaveta.

A gente se preocupa tanto com as dores que passam, que esquecemos que os melhores momentos também se vão…

Os primeiros sorrisos, o pequeno rostinho amassado de quem acabou de acordar, abraço de filho, beijo espontâneo, cheiro de bebê…

E então, paramos para analisar os longos textos sobre a realidade cruel, e entendemos que não existe dor ou dificuldade maior do que precisar aceitar que o tempo passa.
E leva com ele os momentos mais intensos, cansativos, e apaixonantes que vivemos.

Por isso, leia sobre colostro, pesquise sobre sono infantil e introdução alimentar. Mas não se esqueça que seu maior e melhor livro de ensinamentos está bem a sua frente, aberto e disposto a te ensinar (e a aprender) sobre tudo, em todos os momentos…

Esse livro, você pode chamar de filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *