O que eu me tornei depois de você



De todas as verdades absolutas da maternidade, esta é incontestável: já não sou mais a mesma.
E não estou falando das roupas que mudaram, do cabelo sempre preso pela falta de tempo, da rotina que parece estar do avesso…

Estou falando do sentimento que me domina, da sensação de ser completa, de nunca mais ter acordado triste!

Sim, é clichê dizer que a vida ganhou cor, mas tive uma prova super concreta do que é sentir-se realmente diferente:

Sábado me permiti ter um dia de beleza: Fiz o que não fazia ha tempos, fiz as unhas e radicalizei o cabelo.
Esse tipo de coisa sempre me fez muito bem. Afinal, a vaidade faz parte de mim e não diminuiu com a gravidez e a chegada da cria, o que diminiu foi o tempo (e a grana, claro rsrsrs).
Deixei a Bellinha com a minha mãe e passei a tarde toda no salão.
Dentre muitos elogios e várias olhadas no espelho, só conseguia pensar: Ok. Ficou lindo. Mas cadê aquela vontade de desfilar num tapete vermelho?
Eu só conseguia pensar: “A Bellinha ia amar esse churros” (sim, era um Estúdio chiquééérrimo e tinha até um coffee shop DI-VI-NO); “A Bellinha com certeza ia inventar de pedir pra ~pintar as unhas~”; “Será que a Bellinha vai achar que fiquei bonita”?
Gente, ela tem dois anos. D-O-I-S A-N-O-S. Como pode um serzinho tão pequeno tomar conta do nosso dia-a-dia até mesmo em momentos que eram pra ser tão nossos?

É nessas horas que me deparo com um novo eu: menos individualista, menos egoísta e muito menos crítica com relação a várias coisas que antes pareciam uma tempestade.

E não, eu não estou falando que com todas essas mudanças, o amor próprio tenha mudado também. É uma soma: O seu amor próprio, junto com o amor do filho por você que te faz sentir a pessoa mais incrível do mundo.

Dias ruins existem as pencas depois da maternidade. Mas a intensidade que nos abalam é impressionante: Quase nada. 
Se não for algo envolvendo a cria: Tô igual chuveiro velho: nem ligo, e se ligo, nem esquento.
(Mas mexe com a minha baixinha pra você ver!)

Aqui em casa já são mais de 800 dias desde que a Bellinha chegou. Já são mais de 800 dias que acordo grata pela vida. Simples assim.
Porque é simplesmente impossível levantar da cama e olhar a perfeição que ganhei de Deus, e não começar o dia feliz.
(Sim, o decorrer do dia ser stressante é normal – Mas confesso que aqui o mau humor não dura não!)

Então, se me perguntarei quem sou eu depois de me tornar mãe, a primeira coisa que preciso descrever é que me tornei alguém muito mais GRATA. Em todos os aspectos.

Aprendi a driblar as dificuldades sem nem pestanejar.
Nenhum problema na vida pode ser significante enquanto se tem saúde. 
Rico mesmo, é aquele que tem coisas que dinheiro nenhum poderia comprar.
E especialmente hoje, eu preciso agradecer!


(Postagem feita pra distribuir alegria. Feita num dia de ótimo humor. – Isso não me isenta de vir aqui futuramente e reclamar tá?! hahahaha)

Beijos de luz :*



One Reply to “O que eu me tornei depois de você”

  1. Como assim você me segue e eu nunca vim aqui no seu cantinho?
    Preciso urgente ler seu blog desdo inicio *-*
    Me apaixonei pelo seu cantinho steh e seu filha é simplismente uma princesa.
    Parabens a vcs.

    E sim, vc merece, aqui eu nunca abri mão de fazer minhas unhas, pq afinal eu mesma faço kkkk
    ECONOMISTA eu e mão de vaca kkk
    Fiquem com Deus
    beijinhus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *