A parte dolorida da amamentação – Como sair sem traumas

AMAM

Sobre amamentação:

Que eu sou ‘pró aleitamento materno’ todo mundo que me acompanha já sabe.

Mesmo não tendo conseguido amamentar por todo o período que eu queria (Bellinha largou o peito com 9 meses, por livre e espontânea vontade) eu me dediquei muito para fazer com que os 6 primeiros meses de vida fossem com a amamentação exclusiva.

E confesso que não foi fácil. Ainda grávida, li muito sobre o quanto a amamentação traz apenas benefícios, que é um vínculo único e que é um momento especial na relação mamãe-bebê. Mas vi muito pouco sobre o quanto seria difícil. Na minha cabeça ingênua, era simples: O bebê nasce, a gente dá o bico do peito e ponto final. Sugar é simples, não é? NÃO, não é mesmo. Então foi necessário aprender com a dor, com as lágrimas e com o sangue que escorreu muitas vezes junto com poucas gostas de leite.

Como participo de alguns grupos de mãe e vejo quantas pessoas passaram ou passam pela mesma situação, decidi fazer um post especial com todas as informações e experiências que fizeram com que minha história hoje, fosse contada como uma história de sucesso. E se deu certo por aqui, com certeza dará por aí, basta continuar acreditando!

PREPARANDO OS SEIOS PARA A AMAMENTAÇÃO

Diferente dos papos de avó (e absurdamente, de alguns médicos também) não existe uma pré-preparação dos seios para amamentação.
Teorias como: esfregar toalha, passar mil tipos de creme, usar a bombinha de tirar leite para ‘fazer bico’ antes bebê nascer, não têm nenhuma utilidade comprovada, a não ser te fazer sentir dor com antecedência. Os hormônios da gravidez já cuidam dessa preparação por nós. Então, enquanto o bebê não vem, deixa o peito quietinho que por enquanto, o foco não é ele, ok?

O BEBÊ NASCEU, MAS O LEITE AINDA NÃO DESCEU

É muito comum que os primeiros dias de amamentação não sejam um conto de fadas. Isso porque, o leite demora um pouco para descer, especialmente se seu parto foi por cesarea (no parto normal, o corpo já libera hormônios que aceleram a descida do leite na medida em que se têm contrações. O corpo ‘entende’ que chegou a hora e produz com mais agilidade).
Então o ideal é você não parar de estimular o bebê a mamar, pois quanto mais ele sugar, mais leite é produzido. Não há remédio que acelere, a não ser a própria fome do seu filho. Por isso é importante solicitar na maternidade que não seja dado nenhum complemento de leite artificial.desenho

Como o estômago de um recém nascido é bem pequeno, ele demorará para sentir fome novamente, e consequentemente, demorará para sentir vontade de mamar e assim, atrasará a descida do seu leite.

16

Com essa ‘bola de neve’ que se forma por causa de um copinho de fórmula, é muito comum que as mães acabem entrando em desespero porque o bebê ‘não quer mamar’, e quando quer ‘o leite não sai’. Mas a verdade é que: seu bebê não sugou o suficiente a ponto de estimular a produção.
Como resolver: Assim que seu filho nascer, peça para já tentar amamentá-lo. E insista, e persista. Alguns já acertam na pega de primeira, outros depois de alguns dias. Mas a única forma de acertar, é errando e corrigindo.

EU NÃO TENHO BICO

Essa é uma das maiores dúvidas sobre a amamentação: Como eu vou amamentar, se meu seio não tem bico? Bom, eis a melhor realidade que existe: isso não interfere em nada. Até porque, se o bebê pegar ‘apenas’ o bico, vai causar uma dor horrível e pode dar tudo errado. O correto é ele abocanhar a auréola inteira, assim:

11830922_10153059160722475_157510698_n

COMO APERFEIÇOAR A PEGA

Uma dica que eu já dei aqui e repito, são as conchas de amamentar da marca AMAMENTE. Elas são ideais para você colocar nos intervalos das mamadas e acabam salientando a área em que o bebê precisa abocanhar.

amamente_concha_base_flexivel_0070_003

Esse com certeza é um dos melhores investimentos para ter uma amamentação de sucesso, pois além do benefício citado acima, as conchas também:
♥ protegem que os mamilos entrem em contato com o tecido da roupa/sutiã (o que causa um enorme desconforto, especialmente no começo quando está tudo mais sensível)
♥ evitam vazamentos e roupas molhadas de leite, pois o que sai fica armazenado no interior da concha
♥ auxiliam no tratamento de bicos rachados (para entender melhor, mais informações abaixo)
Um detalhe importante é que seus seios não devem estar muito cheios, e consequentemente duros, pois isso dificulta a pega correta e pode causar irritação ao bebê, e dores à mãe. Por isso, se você estiver ‘explodindo leite’, esvazie um pouco seu peite (pode ser com as mãos mesmo) e em seguida, amamente.

SEIOS MACHUCADOS / BICOS RACHADOS

Uma das maiores dores e mais comuns na amamentação é essa: quando os seios racham. É como se ficasse tudo em carne viva, e para ajudar, cada vez mais que o bebê tenta mamar, mais machuca. Mas calma, tem solução!
Primeira parte é tentar fazer cicatrizar, hidratando. E o melhor hidratante do mundo é… Seu próprio leite. Isso mesmo. O leite materno tem tantas vitaminas que é ótimo para ser utilizado como cicatrizante e hidratante. Por isso a concha que falei ali em cima é tão boa para isso: O leite que vaza, fica em contato constante com o bico do peito, e faz todo o trabalho necessário para aliviar as rachaduras.

500590
Uma outra opção, é utilizar pomadas específicas para tratar e proteger os mamilos. A mais indicada e que eu usei e comprovo é a Lansinoh, que é de lanolina e não faz mal nenhum ao bebê.
É importante também deixar os mamilos ‘respirarem’. Ou seja: Nos intervalos das mamadas, passar a pomada indicada e deixá-los livres, sem contato com nada (Literalmente de ‘teta de fora’. Ps: lembrem de fechar as janelas da casa HAHAHAHA).
NÃO É INDICADO: Colocar casca de banana ou qualquer outra coisa do tipo, pois isso contém inúmeras bactérias que podem afetar a saúde do seu bebê.
Também não é indicado a utilização de bicos de silicone, pois podem causar confusão depois, já que hora ou outra será necessário expôr os mamilos para amamentar, é ideal que seja sem nenhum tipo de interferência, assim o bebê aprende a pega correta e evita futuras dores.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

A amamentação deve ser feita em livre demanda. Ou seja: Sempre que o bebê solicitar, sem regras de horário ou troca de seios.
Especialmente porque o peito não é SÓ o alimento. É também o lugar onde eles se sentem seguros e conectados à mãe novamente.
E controlar as mamadas também não é indicado, pois a descida do leite é diferente em cada tempo: Primeiro, vem a parte mais aguada, que é responsável pela hidratação, e depois vem a parte mais gordurosa, que é responsável pela nutrição e é o que faz o bebê engordar.

tiposdeleite

Dica extra de utilização do leite materno: Sabe quando seu bebê acorda com os olhos grudados de remela? Então, é só passar um pouco do seu leite que essa irritação some em questão de minutos.

NÃO DESISTA

A amamentação traz inúmeros benefícios tanto para a saúde do bebê, quanto para a saúde da mãe.

1601343_231915003681285_39359618_n
Além de criar um vínculo único e exclusivo, claro.
As dificuldades existem sim, mas a recompensa vale todo o esforço. A conexão do olhar, o carinho feito por aquelas mãos tão pequenas, a sensação de exclusividade… Por isso, insista e seja firme.

25.02

Caso ainda tenha dificuldades, você pode procurar o PROAMA de sua cidade (Para quem é de Curitiba, o link do site é ESSE)
Tem outras postagens aqui no blog sobre a importância da amamentação.
Para ler é só clicar:

♥ A amamentação e os benefícios para a saúde bucal do bebê

♥ Amamentar: do verbo AMAR

Um beijo

para posts 2

 

4 Replies to “A parte dolorida da amamentação – Como sair sem traumas

  1. Nosa Sté já ouvi falar sobre essas
    Dificuldades que as mamães passam. Mas nada como estar preparada, ouvir e ler recomendações de pessoas que já passaram por isso. Arrasou no post!

  2. Não tem nada mais lindo do que amamentação, né?
    Já li muito sobre mulheres que não conseguiram amamentar e como elas sofreram, mas isso não deve ser assim. É claro que é importante, mas seu filho vai sobreviver se você não tiver leito ou ele não quiser mais.
    Ótimo texto e ótimas dicas, Ste!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *