Puerpério, Textos Gravidicas

Retrospectiva 2016 – A maior lição da minha vida

Se me perguntassem o que eu mais amei fazer em 2016, minha resposta com certeza seria “ser mãe da Isabelle”.
É sério, gente. Eu que achava que já tinha vivido as melhores sensações da vida, me peguei ainda mais enlaçada pelo amor materno.

Não sei dizer exatamente o que aconteceu, mas nesse ano eu vi nitidamente a minha bebezinha se tornando uma mocinha.
E com tantas mudanças me descobri mais forte, mais responsável, MELHOR.

Senti que nos conectamos a cada pequena evolução, e aquilo que era parte de mim, se tornou tudo o que eu sou.

Durante seus 2 primeiros anos eu fui necessária por motivos óbvios. Eu era o alimento, era sua base, era o pedaço grandão dela. Mas nesse último ano que passou eu me senti escolhida.


Como se, mesmo depois de começar a entender que eu não era tão perfeita como ela acreditava, ainda assim, era a melhor pessoa que ela poderia ter ao lado.

Não sei se essa percepção é real e se ela realmente passou a entender mais do meu lado humano errante. Mas foi o que senti todas as vezes que ela me olhou quando eu mesma havia esquecido de mim.

É louco dizer que encontrei num serzinho de 3 anos a amiga ideal que eu sempre sonhei um dia. Mas foi exatamente o que aconteceu.

Nós partilhamos momentos incríveis, e na maioria deles eu me pegava olhando para ela e pensando “Que sorte a minha de ter essa parceirinha pra mim”.

Não me pergunte se isso é da idade, porque eu não sei.
Mas tenho certeza que todas as vezes que olhei para ela com empatia, e não com superioridade, foi quando ela sentiu a liberdade de se aproximar ainda mais de mim.

E nessa troca maravilhosa de experiências onde precisava me sentir como uma criança de 3 anos para entender o que ela poderia estar pensando, eu aprendi mais do que ensinei.

Eu amo a maternidade desde o dia que pude começar a vivê-la… Mas eu garanto: ela pode ficar cada vez melhor, e isso só depende de nós.

Sou grata por cada experiência vivida nesse último ano como mãe.
Que no próximo eu consiga continuar enxergando o mundo através do olhar da minha criança. Que saiu do meu interior e hoje habita esse mundão sempre ensinada a ser livre, e sempre ciente que estarei aqui quando precisar voltar.

Um beijo,

1 thought on “Retrospectiva 2016 – A maior lição da minha vida

  1. Aiii Ste, lendo teus textos me dá cada vez mais vontade de ser mãe. O jeito que você fala sobre maternidade, ~coisas boas e ruins que acontecem~, me encanta! Obrigada por não romantizar o fato de ser mãe, mas de mostrar que é uma das coisas mais lindas do mundo. Pra quem ainda não tem filho, cada texto teu vale MUITO também <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *