Textos Gravidicas

Sobre a solidão materna

Não importa se sua casa recebe visitas frequentes, e se existem pessoas que te ajudam em alguns detalhes no dia a dia… Eu sei que você já sentiu essa solidão… Essa que não escolhe hora pra chegar, e demora tanto pra ir embora.

Na calada da noite fria, enquanto você se engasga com sua própria tosse, temendo acordar o resto da casa…
Na cozinha enquanto prepara o almoço, segurando as lágrimas pra não correr o risco de salgar a comida…
No chuveiro, enquanto a água escorre tão rápido quanto o seu choro, que precisa cessar porque não dá pra ficar muito tempo ali.

Eu sei que essa solidão já te fez repassar sua lista de contatos mentalmente, milhares de vezes, num sábado a noite, imaginando onde estão todas aquelas pessoas, se não ali com você.

Já aconteceu enquanto o barulho do caos ecoava na sua cabeça vazia de bom senso e lotada de questionamentos sobre como o mundo está tão cheio, mas parece que ninguém te vê.
E também já aconteceu, diante dos olhares das vidas que mais te admiram e te têm como sinônimo de força, mas que são pequenas demais para entender que até mesmo as mães se sentem sós.

Essa solidão que te assola, te engole, te faz duvidar da bondade do mundo, embora você nunca tenha acreditado tanto no amor, quanto depois de ter seus filhos.

Eu sei que ela existe…
E embora a gente não se encontre nesse limbo, em alguns dias eu estou lá com você…
Buscando forças pra voltar a perceber que nesse mundo a gente precisa de ajuda, mas que nem sempre pode ter…

05

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *