Uncategorized

Uma carta para mim mesma

Não deixe mais um dia passar sem que ela saiba o tamanho do seu amor…
Você pode não perceber, mas sentar no chão e compartilhar dos brinquedos junto com ela, vale mais do que aquele presente caro na loja do shopping.

Enquanto estiverem juntas, seja 100% presente.
Deixe o celular fora do alcance, desligue a televisão.
Ouça apenas o som das risadas que representam o tamanho da felicidade que ela está sentindo ao lhe ter ali, de corpo e alma.

Não deixe mais um dia passar se importando mais com a organização da casa do que com os carinhos…
30 minutos de afagos limpam a alma. A louça pode ser lavada depois.

Essa fase vai passar
E ela não vai mais fazer tanta questão da sua companhia

Logo, as amigas parecerão mais importantes
A comida não precisará ser elaborada
O seu quarto não será mais a maior atração da casa
Por isso, brinque de pique-esconde, de fazer comidinhas, deixe-a pular na cama enquanto segura sua mão.

Os brinquedos no chão estão ali para que você brinque junto.
Faça de todo instante, uma grande diversão.
Pra quê levar tudo tão a sério?

Crianças amadas são mais felizes.
Ela ainda não entende o significado do “eu te amo”, mas seu coraçãozinho pulsa mais forte quando ela lhe vê largando tudo para sentar no chão e desenhar com ela.

Não seja uma mãe de palavras.
Seja uma mãe de atitudes.

É muito fácil repetir que essa fase lhe fará falta.

Mas sua filha, terá boas recordações da mãe?



(Porque eu tenho o costume de falar sozinha, e esse texto é para mim…. E pra você também!)


1 thought on “Uma carta para mim mesma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *